sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Lançamento - PIECES - Partes do Todo

Finalmente, é hora de revelar a capa do meu novo livro! 

Depois de  vários teasers, é um prazer anunciar que Pieces - Partes do Todo será publicado pela Marsupial / Jupati Books! Estou muito contente com o resultado do livro e com essa nova parceria com o pessoal da editora. Valeu demais, pessoal!
E, para comemorar, o livro, que será lançado oficialmente durante a CCXP, já está em pré-venda na Amazon! Claro, faremos sessões de autógrafos e lançamentos em Campinas, São Paulo e onde mais pudermos, mas se quiser se adiantar... siga o link!

Segue o release do livro:
"Mais um lançamento da Marsupial Editora na CCXP - Comic Con Experience: "Pieces: partes do todo", novo trabalho do quadrinista Mario Cau.
"Pieces", série de histórias curtas sobre o cotidiano, escritas e ilustradas por Mario Cau ("Terapia", "Dom Casmurro", "Morphine"), retorna em um álbum inédito.
Um olhar poético sobre os pequenos pedaços que constroem a vida, seus encontros e desencontros, desejos, corações partidos e amizade. São peças de um quebra-cabeça que desconhecemos por completo.
Toda pessoa é um universo inteiro por dentro e a vida, uma riquíssima colcha de retalhos: é feita de momentos que podem parecer fugazes, mas que carregam sentimentos e experiências que nos fazem ser quem somos.
E nós mesmos, inteiros ou aos pedaços, somos parte de algo maior. Somos parte do todo.
O livro está em pré-venda na Amazon com desconto especial. Aproveite: http://amzn.to/2g52oqx ": ")""

Eventos - Virada Nerd e Tendal Geek

Oi, pessoal! Notícia em cima da hora, eu sei... Os últimos dias foram cheios e só puder escrever no blog hoje.

Neste próximo fim de semana estarei presente em dois eventos em São Paulo! 

No sábado, 19/11, estarei na Virada Nerd da Devir. Vai ser uma maratona bacana, com vários autores, novidades e atividades.  Vai ser também o 1º Dia do Quadrinho Grátis, com distribuição de exemplares gratuitos de séries classudas.

Confira neste link a programação.
E, neste link, o evento do Facebook.

A Virada Nerd Devir acontece das 9h de sábado às 9h de domingo.
Rua Teodureto Souto, 624, Cambuci, São Paulo - SP



(Pra quem é de Campinas, vai ter Virada Nerd na Livraria Leitura do Shopping Parque Dom Pedro).

====

E no domingo, 20/11, estarei no Tendal Geek, participando de um debate sobre a produção de Quadrinhos independentes e vendendo meus trabalhos.

Confira a programação completa no site: www.emcartaz.prefeitura.sp.gov.br e fique de olho aqui no Facebook para mais detalhes!

O Centro Cultural Tendal da Lapa fica na Rua Guaicurus, 1.100, perto da Estação da CPTM e do Terminal de Ônibus da Lapa.



Veja o evento no Facebbok neste link.


sexta-feira, 28 de outubro de 2016

PIECES - Sinopse do novo livro

Oi, pessoal!

Essa semana tem mais novidade de PIECES - Partes do Todo, meu novo livro, que será lançado na CCXP em dezembro!
Esta é a sinopse (texto da 4a capa), como prometido... 


E de brinde o texto da orelha do livro, pelo Fábio Coala (obrigado pelas belas palavras, bro!)



São 80 páginas com 7 histórias emocionantes e inéditas pra te fazer refletir sobre a vida e a morte, ausências e presenças, o amor pelo outro e por si mesmo.

Em breve, mais novidades!

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Eventos - Comission list CCXP

Oi, pessoal! Tudo bem?

A sempre incrível Comic Con Experience, em São Paulo, está se aproximando. Este ano abri uma lista de comissions especialmente pro evento. Comissions são artes originais do personagem que você escolher. Farei três opções de arte: colorida, em preto e branco e em tons de cinza. Serão apenas 20 originais produzidos, e para garantir o seu, siga as instruções abaixo:



Os valores são referentes às artes produzidas em formato A4 (21x29cm), em papel especial (Bristol opaline 180g) e finalizadas em nanquim e marcadores (aquelas canetinha classudas). Deverão ser retiradas na minha mesa do Artist Alley durante o evento.

Pra combinar tudo certinho, entre em contato pelo e-mail.

Lembrando: você não compra uma arte já pronta, você encomenda uma! É isso, eu desenho o SEU personagem favorito e essa arte é inteirinha sua! ;)

Novidades - PIECES!

E aí, galera!

Como já foi divulgado na minha página do Facebook essa semana, terei um lançamento na CCXP. A série PIECES retorna em um álbum de 80 páginas só com HQs inéditas! Estou muito satisfeito com as histórias e acredito que é meu trabalho mais maduro como roteirista até hoje.

Logo vou divulgar a capa, sinopse e teasers das histórias... Além de outras cositas mas! Fiquem de olho! E por enquanto, aqui está o logo e o título do livro.



quarta-feira, 28 de setembro de 2016

One Life a Day - Agenda 2017


A One Life a Day é uma agenda impressa, muito diferente do que você encontra em papelarias: é ilustrada por diversos artistas incríveis, de várias partes do Brasil e do mundo. Organizada por um time estrelado, chega a sua terceira edição.

A primeira edição da One Life a Day agenda, com o tema "Ars longa, vita brevis" contou com 63 artistas e era semanal para o ano de 2015. Foi impressa sob demanda para apenas 425 pessoas sortudas que acreditaram nesta ideia! 

Em 2016 seguimos navegando, nossa tripulação aumentou para 144 artistas, inspirados pela cor ciano e pela imensidão do mar, com o tema "Navegar é preciso". Em novembro de 2015 esta nau aportava trazendo um carregamento de 1400 agendas que hoje nos acompanham!

A terceira edição (2017), com o tema "Gente é pra brilhar" conta com um time espetacular de 144 artistas, e eu estou, mais uma vez, entre eles. Dessa vez, ilustro a abertura do mês de dezembro. Confira abaixo o time completo!



Acompanhe o projeto e veja as prévias das artes na página do Facebook.

Garanta a sua pela pré-venda, neste link. 



Contato pelo email: olad.agenda@gmail.com


sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Evento - Bienal de Quadrinhos de Curitiba

Oi, pessoal! Tem mais eventos bacanas de Quadrinhos chegando!

Em setembro estarei na Bienal de Quadrinhos de Curitiba, a antiga Gibicon (já estive lá em 2014, lançando Morphine e participando de debates!). Com novo nome, o evento este ano conta com dezenas de convidados nacionais e internacionais, oficinas, palestras e claro, o Artist Alley, onde você encontra vários autores e suas obras.



Divido a mesa com meu parceirão Daniel Esteves, da Zapata Edições. Entre os trabalhos que terei à venda, estão Terapia Vol. I, Morphine e meu mais recente livro, Quando a noite fecha os olhos.

Nos vemos lá!

sexta-feira, 22 de julho de 2016

Projeto 21 Dias - Finalizando e reflexões

Oi, pessoal! Acabei de me dar conta, em meio a tantas outras coisas que estou fazendo, que não postei nada sobre as artes finais do Desafio 21 Dias! Bom, vamos corrigir isso, e ainda fazer algumas considerações sobre a experiência toda.

A 20ª arte do desafio foi uma releitura de uma das pinturas do monstro Norman Rockwell, "O fugitivo". 
Mestre pintor e ilustrador norte-americano, sua arte mostra uma doçura verdadeira da vida do americano... É uma visão quase ingÊnua, poética de pessoas comuns nas pequenas cidades dos EUA, nos anos 40, 50... É bem mágico, na verdade. O nível de realismo que ele empregava misturado a um tipo sutil de estilização e caricatura fazem tudo ser muito acessível. . É muito realista e sempre me deixa impressionado. Mas o que mais gosto é da atuação das figuras. Expressões faciais e corporais no seu melhor. E sempre tem algo interessante no cenário e nos detalhes que ajudam as imagens a serem sempre muito ricas, seja na narrativa ou na técnica.



A 21ª arte foi uma homenagem à Mônica, do Mauricio de Sousa. Porque né, quem nunca leu Turma da Mônica? A grande maioria dos quadrinistas brasileiros (bom, de todo mundo) tem no trabalho e legado do Mauricio uma inspiração e um incentivo. Es é minha singela homenagem a tudo que o Mauricio representou e representa para mim e para todos os quadrinistas e artistas brasileiros.



E aproveito a deixa para postar também este desenho do meu queridão Homem-Aranha. Fiz este para comemorar os 2.000 seguidores no Instagram. A série dos 21 Dias foi importante para chegar a esse número, e sou muito grato por todo mundo que me segue e gosta do meu trabalho.


Agora, algumas reflexões sobre o desafio como um todo...

Me perdi entre os dias por causa de aulas, eventos, projetos paralelos e claro, a vida pessoal), e não consegui honrar a regrinha de desenhar TODOS os dias. O desafio tem como meta uma sequência de 21 dias direto com desenhos. e é muito importante tentar ao máximo manter a disciplina.

Achei que o tema escolhido (releituras de obras que me influenciam) seria bom por ser bem amplo, mas é interessante que, mesmo amplo, ainda te limita. Eu não queria desenhar certas coisas que são. sim, influências do meu trabalho. Talvez por já ter desenhado algo similar há pouco tempo, como no caso do trabalho do Bá e do Moon... Talvez por achar que, naquele momento, não ia conseguir fazer um bom trabalho (como na ideia de desenhar algo da Capela Sistina)...

Limitei um pouco a técnica usada, mas gostaria de ter tido mais tempo e organização para testar coisas diferentes.

Em 21 dias, teoricamente, você consegue se aprofundar bastante no assunto escolhido. Isso é verdade, pois eu precisei revisitar muita coisa e reconsiderar outras. Muita gente que eu não lembrava direito foi relida, muita gente que eu curto demais não foi usada. E é sempre bom buscar novas referências e influências. Quem fica muito focado só nos mesmos poucos estilos se limita.

O feedback do pessoal, especialmente no Instagram e no Facebook foi crucial. Ter esse retorno ajuda a manter o foco, dá vontade de sempre se superar. É uma cobrança, sim, uma pressão, mas é uma boa coisa. Agradeço a todos que curtiram e acompanharam esse desafio... E quem sabe em breve eu faço outro!

segunda-feira, 18 de julho de 2016

Eventos - Banca de Quadrinistas - Itaú Cultural

Na próxima quarta, 20 de julho,m participarei do Banca de Quadrinistas, um evento de autores organizado pelo Itaú Cultural, juntamente à Ocupação Glauco e debates. Terei meus livros e prints, e claro, muita conversa boa.

Release:
Os dias 20 e 27 de julho no Itaú Cultural serão dias de feira: das 14h30 às 19h30, o instituto realiza a Banca de Quadrinistas, um espaço em que o público descobre novas publicações em contato direto com artistas, coletivos, selos ou instituições relacionadas às HQs. Serão 15 expositores em cada dia – cinco convidados e dez escolhidos por meio de uma seleção aberta. Para visitar, não será preciso retirar ingresso. O evento é uma programação paralela da Ocupação Glauco.
Alguns quadrinistas que participam de outros eventos do instituto já são nomes confirmados entre os expositores convidados: os debatedores do ciclo Caminhos da HQ – outra atividade paralela à Ocupação Glauco – Marcatti, Carol Rossetti, Klebs Junior (Instituto dos Quadrinhos), Daniel Esteves (Zapata Edições) e Marcelo D’Salete (editora Veneta); além de Gus Morais, que oferece a oficina Brincando de Montar Quadrinhos no Fim de Semana em Família nos dias 9 e 10 de julho




AUTORES SELECIONADOS:20/7: 
Balão EditorialCarlos Henrique GuabirasFlávio LuizGilmar MachadoGiulia Bettini CalistroMarcio R. GotlandMariana Aiex JorgeMario CauRenata RinaldiTalessa KuguimiyaUgra Press

27/7:Allan AlbuquerqueBruno Soares Freire de CarvalhoCristina Eiko YamamotoEditora Gato Preto/Selo GarabatoFlavio Francisco Soares BrandãoGermana VianaLuciana ForaciepeMário César dos Santos OliveiraRenato Machado GonçalvesRodrigo Motta/Motta Press

BANCA DE QUADRINISTAS

Quartas 20 27 de julho
Das 14h30 às 19h30

ITAÚ CULTURAL:
Sala Multiúso (piso 2)
Avenida Paulista 149 
São Paulo SP 01311 000 
[Estação Brigadeiro do metrô]
fone 11 2168 1777 fax 11 2168 1775
Entrada gratuita


sexta-feira, 1 de julho de 2016

Projeto 21 Dias - 3ª e 4ª Semanas

A esta altura, não funciona mais catalogar os trabalhos do Desafio em semanas... Tanta coisa aconteceu nesse meio tempo que me fez desviar o foco. Claro,como eu sempre digo, a vida acontece. A gente não tem como frear a vida, muito menos impedi-la de acabar... Bom, o importante é que, mesmo com os buracos na estrada, a gente continua em frente. Mesmo com os desvios de foco, eu farei 21 desenhos dentro deste desafio.

Entre os compromissos que me tomaram as semanas anteriores está o Fest Comix, evento bacanudo em São Paulo. Não foi possível desenhar o Desafio enquanto estava lá, infelizmente, mas o evento foi gratificante de qualquer forma. Também palestrei na Pandora, tive a quinta-feira cheia de aulas e por aí vai. A princípio, eu poderia usar meu próprio argumento de que você simplesmente tem que arranjar um tempo, disciplinar a produção e fazer acontecer. Eu sei, eu sei. Casa de ferreiro...

Vamos ver como ficaram os mais recentes?

Disparado o maior sucesso dentre os desenhos do Desafio, a minha releitura de Calvin e Haroldo gerou mais likes do que eu jamais tinha tido no Instagram. No Facebook, foi sucesso também. Fiquei feliz de ver grandes fãs do Calvin se manifestando. Parte desse sucesso se deve, acredito, ao bom uso das hashtages. Lembrem disso quando forem divulgar seus trabalhos. As hashtags são bem interessantes.

Enfim, Calvin e Haroldo são meus personagens favoritos de tira. Fazia tempo que eu queria dar minha visão destes personagens, e o desenho simplesmente fluiu. Gostei demais do resultado. Admiro o Watterson pela obra toda, pelo senso de humor, pela maturidade, pelo traço... Traço esse que é espetacular, coisa linda. Umas linhas expressivas, pesadas e leves. Perceba como ele desenha cenários, dinossauros, planetas, aliens... Tudo é feito com maestria.




Fiz uma versão colorida que virou print limitado no Fest Comix. Pode ser que ele reapareça em eventos futuros.

Depois veio a Enriqueta e o Fellini, personagens do Liniers, da tira Macanudo. Sei que a proposta do Desafio era reler autores que me influenciam, e com certeza o traço do Liniers não é aparente no meu trabalho, mas posso dizer que o senso de humor é muito influente para mim. Existe uma doçura, uma sensibilidade... E uma coisa de nonsense que sempre me agradam. Liniers tem um jeito só dele de fazer humor. Deveria ter colorido este, mas não rolou no dia e acabei deixando quieto. Este foi um dos desenhos que gostei de fazer por ser uma releitura de um estilo totalmente diferente, mas algo no processo não casou direito, e achoque não gostei tanto do resultado. Acho que foi algo parecido com o desenho dos X-Men, algo não clicou.





Entrando numa vibe mais soturna e melancólica, desenhei a capa de "Sleepwalk", graphic novel de Adrian Tomine. Seu estilo é sóbrio sem grandes frescuras ou experimentações, mas as histórias são pesadas, tristes, intensas. Me dá um incômodo, quase a vontade de entrar na HQ e ajudar os personagens, conversar com eles. Tomine também foi uma baita influência do meu trabalho na fase Pieces. Eu nunca lembro de citá-lo como influência, mas aí está, enfim, minha homenagem ao cara.






Então veio o dia de desenhar Van Gogh. Escolhi essa pintura, "At eternity's gate (sorrowing man)" porque ela destoa da produção do Van Gogh um pouco. Geralmente as obras dele são coloridas e cheias de vida, mas esta é uma ode ao sofrimento. Eu costumava ter o desenho dela (a gravura que deu origem à pintura) colada na parede na frente da minha prancheta lá em 2006, 2007. Era um tipo de incentivador, uma forma de mostrar que existe beleza na tristeza. Era isso que alimentou meu trabalho por um tempo, especialmente nas HQs da Pieces. Gosto das linhas vigorosas, mas especialmente gosto da expressão corporal do velho. Me corta o coração toda vez.





E então vieram os dias mais complicados, e fiquei sem desenhar um tempo. Parece coincidência que o desenho do Van Gogh foi feito na noite anterior à notícia de um falecimento na nossa família. Parecia um prenúncio. E o desenho seguinte, feito alguns dias depois, parece a ressaca disso.

Na retomada do Desafio, escolhi uma pintura de Edward Hopper para reler. Gosto muito das cores fortes, quase chapadas. Fico com vontade de desenhar tudo em preto e branco, evidenciando as fortes luzes com fortes sombras, mas optei por colorir o desenho com marcadores, dar mais ênfase à luz com cores do que com preto.

Essa pintura se chama "Sol da Manhã". Durante a produção me lembrei de um desenho que fiz numa aula de pintura da faculdade, em 2007, que tinha uma garota sentada no parapeito de uma janela grande, vendo uma cidade imensa de cima. A sensação de solidão, do espaço interno sendo enorme, mas ainda assim, ínfimo perto do espaço externo eram o que conduziam a minha ideia, e acabei redescobrindo isso no Hopper. Ele traz uma melancolia e uma solidão imensas ao pintar o cotidiano. Isso nos anos 50. Imagina como seria sua visão de mundo hoje?




Por fim, veio o Tintim. Heroi da minha juventude, o desenho animado era meu programa favorito das tardes na TV Cultura. Assisti todos inúmeras vezes, tenho tudo em DVD. Não completei a coleção das graphic novels ainda (olha aí, dica de presente!), mas um dia eu chego lá. O traço super limpo e preciso do Hergé e seu estúdio sempre me impressionaram. Fica a minha homenagem a eles.




Ok, agora faltam apenas dois desenhos. Essa semana já está terminando e não sei se consigo fazê-los. Hoje e amanhã nos preparamos para eventos (minha esposa em São Paulo, eu em Sorocaba), mas se conseguir, postarei como sempre primeiro no Instagram, com repost automático no Facebook, Twitter e Tumblr.