quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Pieces... em peças



No último sábado, 3 de dezembro, aconteceu a primeira e única apresentação de "Pieces... em peças", uma peça de teatro baseada nas minhas HQs.

Queria começar esse texto agradecendo imensamente o grupo todo, e laro, o Max Sawaya, diretor e roteirista da peça, por terem me dado esse presente tão bonito!

Tudo começou quando, numa conversa casual, o Max me contou da ideia de transformar as histórias da série Pieces em peça de teatro, que seria produzida pelo grupo de teatro do Colégio Casa do Saber, onde ele é professor.

Não mais que na lata, respondi "com certeza"! A pergunta original era se eu "autorizaria" a adaptação, mas convenhamos, como dizer não?

Como autor, eu posso dizer que é uma honra ver seu trabalho sendo levado para outra mídia, outra linguagem. Teatro é uma coisa que eu consumo menos do que deveria, mas que sempre me intriga. Já trabalhei com companhias de teatro antes, mas sempre por trás das cortinas, de alguma forma.

Dessa vez, era uma daptação de um trabalho meu, e minha empolgação foi grande! Apesar do termo formal, "autorizei" a coisa e o Max e seus alunso começaram a escrever e ensaiar.

Por motivos de agenda (e a minha foi um caos nos últimos meses!), só pude assistir ao último ensaio. Fiquei emocionado com os alunos encarnando aquelas situações que acontecem com todo mundo... que aconteceram comigo...

Como a premissa da HQ diz, Pieces traz lacunas nas histórias, que podem ser preenchidas pela própria vivência e opinião dos leitores, dando a cada um uma interpretação diversa, e completamente válida.

O que a peça fez foi pegar a premissa da HQ e potencializar! Não só eles deram suas próprias interpretações para as histórias, adicionando tons de voz, gestos, pausas, música, uma ou outra frase a mais... Como também conseguiram manter diversas lacunas que o público poderia, então, preencher.

Maravilhoso.

A peça nos apresentava dois personagens principais, uma menina skatista e um rapaz nerd, ambos sem nome, como todo personagem da Pieces. Mostrava suas indagações, opiniões, rebeldias, perante pais que queriam coisas opostas: o pai da skatista não a deixava sair pro mundo; a mãe do nerd praticamente o obrigava a sair e se relacionar.

Essa parte da história foi criada pelo Max, e não existe nas HQs. Mas é incrível como ela abraça quase tudo que a HQ propõe...

E, no intervalo entre uma ou outra cena com essas dois personagens, várias cenas tiradas diretamente das páginas da minha HQ.

Ideias brilhantes, como a trilha sonora fantástica, as molduras brancas seguradas no fundo pelos "ninjas" (ha!), para dar ênfase em certas cenas, o cenário simples, o espelho... E a coreografia de "Enjoy the silence", baseada na 4ª capa da Pieces #2!

Essa seria a presentação do sábado. Mas, no dia 2/12, houve uma apresentação diferente, exclusiva para os pais, com enas diferentes, e uma proposta diferente: saíam a skatista e o nerd, entravam os próprios alunos se alternando em monólogos anônimos, cutucando o espectador com frases belas e poéticas.

A apresentação de sexta, incluindo os monólogos, foi escrita pelo Gustavo (vulgo Zé), um dos alunos, que me surpreendeu não só como ator, mas como escritor. Espero ouvir muito desse cara ainda.

As duas apresentações foram sucesso total, e torço muito mesmo para que ano que vem tenhamos nova oportunidade para rever essa peça em pedaços.

Alana, Ana Beatriz, Ariane, Beatriz, Bruna, Gabriel, Gaby, Zé, Isabeli, Pamela, Pedro, Vitória e Max: OBRIGADO!

Vocês foram espetaculares, tenho muito orgulho de saber que gostaram do meu trabalho a ponto de transformá-lo em algo muito maior e poderoso. Espero que, seja qual for o destino de vocês nesse caminho da vida, sempre tenham um pé em algum tipo de Arte. E continuem sendo curiosos, apaixonados, dedicados e nunca deixem de buscar sua felicidade.

Abaixo, seguem algumas fotos, e o vídeo da presentação de sexta-feira:





Max e os atores conversando com o público depois da peça.




Ah!
O Max, além de ser um grande professor, também é ótimo escritor. O blog dele está rechado com coisa legal, recomendo!

Um comentário:

maxsawaya disse...

Grande Marião!

Fico contente por ter curtido tanto assim a peça. Espero sim conseguir apresentar mais vezes, pois vale a pena.

Seu trampo é excelente e é uma honra adaptá-lo e representá-lo, a garotada curtiu, e isso é importante. Eles são muito talentosos e tenho certeza que não só veremos mais coisas do Zé, por ai, mas de muitos deles: Alana, Vitória, Gaby, Gabriel, Pedro, são alguns dos que gostam bastante do lado artístico.

Bem é isso. Que tudo dê certo para que continuemos tentando encaixar as peças desse quebra cabeça.

Muito grato e abraço!