segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Evento - CCXP 2016 - Como foi?

Oi, pessoal! Chegou a hora de falar um pouco sobre a Comic Con Experience 2016! Pra começar, já posso dizer que minha sensação ao voltar do evento foi:



Como nas edições anteriores, a CCXP foi incrível. Sensacional. Foi, como o slogan muito bem acertado promete, ÉPICO. O evento em si dobrou de tamanho, está imenso. Ocupa o São Paulo Expo INTEIRO, e que já esteve lá sabe que isso é MUITA coisa. Estandes belíssimos, convidados bacanudos, atrações massa, tudo muito legal.

Mas eu, assim como meus colegas autores, não curto o evento do jeito que o público em geral curte. Eu e minha esposa (a Monica, essa pessoa maravilhosa que me ajuda tanto) ficamos na mesa do Artist Alley praticamente o dia inteiro, das 10h às 22h, com pequenas pausas pra comer, banheiro e dar uma voltinha rápida.



E isso tem um excelente motivo: o público, gigantesco (foram mais de 180.000 pessoas!!!), tem muito interesse pelo trabalho dos autores brasileiros e sua produção autoral. Isso, por si só, já deixaria o evento imperdível, assim como o FIQ e a Bienal de Curitiba. Nós, autores, estamos lá para mostrar nossas novidades, conectar com os leitores, criar networking e sempre conhecer mais pessoas. Dos praticamente 400 autores (talvez mais...?) presentes, é seguro dizer que todos tinham novidades, sejam HQs, graphic novels, prints...

O fato do público ter essa sede pelo material autoral mostra que, independente de tema, traço ou meio de produção, existem leitores no país inteiro, pra todo mundo. Como eu sempre digo, existem quadrinhos pra qualquer pessoa, é só procurar. E na CCXP, a galera vem direto e procura mesmo.

Sensacional reencontrar leitores, sejam eles velhos amigos dos primeiros eventos que fui ou novos amigos que conheci há pouco tempo. Também vale o pessoal que me conheceu lá, nesta edição da CCXP,sem nunca ter ouvido falar do meu trabalho... e confiou,se apaixonou, se intrigou.

Como não amar o feedback? Foi lindo ouvir os relatos do pessoal que já tinha lido meus trabalhos e do quanto ele reverberou dentro de cada um. Saber, por exemplo, que Terapia ajudou um leitor a se entender e a chegar à conclusão de que ele também iria procurar um psicólogo, e que isso o ajudou demais e ficar bem, em paz e pleno... Cara! A gente se arrepiou todo. Isso é lindo. É mais do que contar histórias, entreter... É tocar os corações, gerar questionamento, gerar conversas. É sentir e fazer sentir.



Muita alegria também com o aniversário da Monica (foi no dia 3, sábado), com tantos amigos,autores, editores, leitores indo dar os parabéns pra ela. Como ela ama fazer aniversário, posso te garantir que ela adorou!

Um salve especial pros meus alunos que apareceram por lá, seguindo suas paixões pelas HQs. Em especial ao João Gabriel, que levou sua HQ "Definhar", um drama pesadão e sufocante; a Aline Zouvi, que levou sua HQ "Cordas", um slices-of-life lindo sobre voz e identidade (cuja 4a capa tive o prazer de assinar); e o Edegar Agostinho, com seu divertidíssimos "Mãe, eu quero um apocalipse zumbi!", uma aventura de zumbis e nerds (cujo prefácio tive o prazer de assinar).

Aline Zouvi com o "Cordas"


Sou muito grato a todos que foram à mesa E04 conversar comigo, com a Monica, conheceu e levou meu trabalho, meus prints, encomendou comissions... Mais ainda a todos que voltaram, seja depois de um ano ou um dia, e disseram que leram, se emocionaram, que perguntaram sobre as histórias, as ideias, os recursos gráficos. Vocês são incríveis, e fazem a CCXP ser essa coisa maravilhosa que a gente espera um ano inteiro pra curtir. Sou grato a quem chorou lendo minhas HQs, porque isso significa que se emocionaram de verdade, sentiram algo lá dentro, o que sempre foi meu objetivo como autor.




Meu novo livro, lançado lá, vendeu muito bem! Imagina minha alegria ao pegá-lo na mão pela primeira vez? Eu não tinha visto ainda, ao vivo, até que meu editor, o Lucio, me entregou a caixa no primeiro dia do evento. Foi uma surpresa tão bonita... O livro ficou lindo, muito mais bonito do que eu esperava. Estou muito satisfeito e realizado como autor, e agradeço à Marsupial/Jupati Books pelo esforço e energia empregados pra tornar meu livro uma realidade num prazo tão apertado! (prometo que o próximo vai ser mais tranquilo, hehehe)



Abração especial também pros meus colegas, amigos, irmãos. Os autores, especialmente do Petisco, pela parceria de uma vida, uma carreira inteira de bons momentos e apoio e amor às HQs.

Saíamos todos os dias exaustos, mas felizes. Dormimos pouco, mas a energia nunca diminuía. Vendemos, conversamos, abraçamos, curtimos... Voltando pra casa, naquele domingo à noite, eu sentia uma paz, uma sensação de completude e uma alegria digna de season finale. Foi épico, sim. E dormi um coma delicioso. E, no dia seguinte, enquanto organizava o estúdio (contava estoque, guardava caixas e carrinhos de carga, fazia a contabilidade...), já começava a fazer os planos pra 2017.

Vocês não perdem por esperar. Vai ser épico, mais uma vez.

E, do fundo do meu coração, OBRIGADO a todos que fizeram dessa CCXP quatro dias tão especiais!

Nenhum comentário: