sexta-feira, 18 de julho de 2008

Front Especial na folha

O Mario, meu xará da Front, conseguiu uma edição da Folha de segunda, onde saiu uma matéria sobre a Front.
Como o filho também é meu, coloquei aqui!


Também saiu no site da Folha: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/ilustrad/fq1407200818.htm

Segue o texto aí embaixo :)

HQ homenageia Japão além do mangá

Edição especial da “Front” traz quadrinistas brasileiros explorando o tema do centenário da imigração

PEDRO CIRNE
COLABORAÇÃO PARA A FOLHA

Neste ano de 2008, comemora-se o centenário da imigração japonesa no Brasil. Um ótimo mote para uma edição de histórias em quadrinhos, principalmente uma vez que os mangás (HQs japonesas) têm ótima aceitação por aqui e influenciam muitos quadrinistas nacionais. A revista “Front” lançou recentemente uma edição especial sobre o tema e o resultado vai além dos mangás e da nostalgia pela terra distante -não que os dois estejam ausentes da edição.
Desde que a “Front” foi lançada, em 2001, a proposta era ser uma revista em quadrinhos diferente. Tanto que não houve a edição número um. A primeira “Front” já era a número sete e trazia o formato que conserva ainda hoje: muitos quadrinistas nacionais, de estilos e gêneros diferentes, abordando um único tema por edição. E essa “Front” continua diferente: não pertence à numeração normal da revista, daí o adjetivo “especial” no título: “Front Especial nº 1 - Centenário da Imigração Japonesa”.
O motivo dessa diferenciação, explica Mário César, editor da “Front”, é o assunto. “É um tema mais específico, diferente dos anteriores, que eram abertos, como ódio, amor, saudades etc.” Se houve um caminho diferente na escolha do tema, Mário César vê que o caráter experimental da revista foi mantido: “A história do Leandro Moraes, por exemplo, não é um quadrinho tradicional; é uma narrativa fragmentada, que segue para várias direções o mesmo tempo”. Dois veteranos quadrinistas brasileiros de origem nipônica participam desta edição: Júlio Shimamoto, como autor, e Cláudio Seto, como um dos personagens.
Shimamoto escreve e desenha uma história autobiográfica. Relembra um episódio da sua infância em que viu seu pai, japonês que havia imigrado para o interior paulista, envolvido em uma difícil situação moral.
Seto, por sua vez, é protagonista de outra HQ baseada em fatos reais, narrada não por ele, mas por Bira Dantas. Filhos de imigrantes nipônicos, Seto e seu irmão gêmeo nasceram no Brasil. Entretanto, sua avó, supersticiosa, convenceu a família de que o fato de serem gêmeos era mau agouro e precisava ser escondido. Assim, Seto foi criado no Brasil, enquanto seu irmão cresceu no Japão. Quando, adolescente, o gêmeo voltou para sua terra natal, eles decidiram manter o segredo de família, tirando proveito da inusitada (e divertida) situação.




...Único porém, foi terem creditado a ilustração do Mauro Fodra como página da HQ do Iuri Casaes.

Todos os créditos vão pro meu caro Mário, que acho que nem sabe que eu roubei do blog dele ehahahaha!

Um comentário:

Mariana Guerra disse...

Opaaa, finalmente alguém realmente mostrou a cara da revista!!
Hahaha

Parabéééns pra quem publicou na Imigração!!