quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Vencedores do 26º Angelo Agostini

Um pouco de informação, e, por que não, de polêmica, sobre os vencedores do prêmio!

Segundo o release oficial: O Senac São Paulo e a Associação dos Quadrinhistas e Caricaturistas do Estado de São Paulo (AQC-ESP), com o apoio do site Bigorna e Inarco Internacional, promovem a entrega do 26º Prêmio Ângelo Agostini, aos melhores do quadrinho nacional do ano de 2009, marcando os 100 anos do falecimento de Angelo Agostini.

Confira os vencedores:

Melhor Desenhista - Adauto Silva;
Melhor Roteirista - Laudo Ferreira Júnior;
Melhor Cartunista - Sivanildo Sill;
Melhor Lançamento - Roko-Loko - Hey Ho, Let´s Go! (Editora Rock Brigade);
Melhor Fanzine - QI (Edgard Guimarães);
Troféu Jayme Cortez - José Salles (Editora Júpiter II);
Mestres do Quadrinho Nacional: Franco de Rosa, Henrique Magalhães e Rodval Mathias.

O evento terá a seguinte programação:

13h exibição do filme Deu no New York Times (roteirizado e encenado por Henfil);
14h30min Palestra A Divulgação dos Quadrinhos na Internet com com Carlos Costa, Fábio Sales, Paulo Ramos, Renato Lebeau, Rodrigo Febrônio e Sidney Gusman;
15h30min Apresentação de lançamentos de autores nacionais;
16h Entrega dos prêmios (com exibição de trabalhos dos premiados);
17h Bate-papo com os quadrinhistas;
18h Encerramento.

O local contará com uma banca de venda de revistas independentes de autores nacionais organizada pelo Coletivo Quarto Mundo.

Será realizada a criação de uma HQ coletiva gigante (os presentes serão convidados a desenhar uma seqüência de uma HQ, com tema escolhido no início dos trabalhos).

A festa será realizada no dia 27 de fevereiro, sábado, a partir da 13h, no Senac Lapa (Rua Faustolo, 1347 - São Paulo/SP).

===
Agora, polêmica. Ou não?

Não tinha me incomodado com os vencedores, até porque alguns eu não conhecia. Mas um belodia, uma twitada de um amigo que entende muito de HQs me fez repensar. E eu concordei com ele. O lance é que, e aí não sei se concordam comigo, num ano em que tivemos lançamentos do calibre de MSP 50, 7 Vidas, Sábado dos meus amores (escolhido porquase todo mundo o melhor lançamentoe de 2009), Yeshua, sem contar os inúmeros bons lançamentos independentes, o ROKO LOKO ganhar é incomum. Pra não dizer injusto.

Eu gosto muito do Márcio Baraldi, autor do Roko-Loko, respeito muito o trabalho dele, apesar de não acompanhar (eu também não acompanho o Batman, questão de gosto pessoal). Nunca fui fã da arte, mas conheci e acho o autor um cara legal.

É estranho mesmo. E aí, eu pensei, numa daquelas raras oportunidades de exercitar a dedução, o quebra-cabeças. Pensem. O Angelo Agostini é um prêmio de votação aberta. Qualquer pessoa pode enviar cédulas ou emails e votar (no HQMix, ao contrário, só profissionais inscritos votam). Então, alguém que tem uma legião de fãs extensa pode ganhar, se os fãs se mobilizarem. A Pieces foi indicada, junto com dezenas de títulos, mas claro que não ganharia se o lance fosse quantidade de votos.

Umas semanas antes do fim da votação, recebi um pacote do Baraldi, com um exemplar autografado do Roko-Loko, e dentro dele, uma cédula do Angelo Agostini com uma carta, sugerindo votos favoráveis ao Roko-Loko. Não sei até que ponto isso ajudou o álbum a ganhar. Eu não votei no Agostini, faltou tempo pra pensar no assunto, e se tivesse votado, não seria no álbum vencedor. Mas enfim, me peguei pensando sobre isso. Se eu fizesse o mesmo com a Pieces, Quadrinhópole, ou qualquer outro projeto meu, não poderia ser mau-visto? Ou criticado?

Lembro de uma certa polêmica que rolou um tempoatrás, acho que no Agostini de 2008, em que foi sugerido que o Quarto Mundo fez panelinha pra votar, ganhando assim o prêmio, como coletivo, pela contribuição. Ora, nós NUNCA faríamos isso, e todos os quartomundistas sabem, o assunto foi discutido à exaustão. Nem se quiséssemos. Não é ético, pra começo de conversa.

Deus me livre querer comprar briga por causa disso, ainda mais com o Baraldão, mas não posso deixar de achar injusta apremiação. Acho sim, que os álbuns de cortesia foram enviados a muita gente, e essa galera toda votou, combinando com os já fãs do trabalho do cara, e resultou no album, que, na minha opinião, não merecia o prêmio.

Que fique bem claro: não tem a ver com a Pieces não ter ganho. Ou qualquer outro projeto no qual trabalhei. É minha opinião sobre o assunto, de achar que tivemos lançamentos de calibre muito maior que deveriam ter ganho. Eu teria votado fácil em MSP 50, que está no meu top 5 de 2009. Ou na Pieces, só pela birrinha ; )

===

Por outro lado, o prêmio de desenhista foi para alguém que eu não conhecia antes, mas que segundo minha pesquisa, é um bom desenhista. Só não sei bem o que ele publicou no Brasil. Pode ser falha minha. É que é estranho o prêmio de Roteirista ter ido para o grande Laudo Ferreira, meu amigo do Quarto Mundo, pelo Yeshua. Claro, Yeshua é uma puta história, e merecidamente ganhou o prêmio, mas o Laudo é um ótimo desenhista também. Pelo menos eu sempre o vi como desenhista em primeiro lugar, e roteirista em segundo plano.

O melhor zine, QI, foi uma ótima escolha. Tem um público muito grande, e emncerrou suas atividades com o nº 100. Vai deixar saudades. O Agostini é uma homenagem e tanto.

===

Não vou estender mais o assunto. É bem provável que eu vá à premiação, com os quartomundistas, então poide ser que nos vejamos lá!
Pensem a respeito. Será que é justo esse lance eleitoral todo? Seria dumping?

O que o HQ Mix nos reserva?

Um comentário:

Marcio disse...

Mario,
faca como eu , que alem de custear meus livros do proprio bolso, ainda faco divulgacao corpo a corpo,xaveco todo mundo,faco minha propria assessoria de imprensa(alias , tenho um assessora contratada pra ajudar tambem),me enfio na TV, no radio, nos jornais e revistas.E peco votos mesmo.Tudo da maneira mais honesta e transparente do mundo!!!Nao tenho vergonha nenhuma disso porque ha muuuito tempo que eu saquei que no Brasil as coisas so funcionam assim mesmo.A gente nao tem uma industria e um mercado solidos,entao somos obrigados a fazer o papel de dez profissionais , alem do de quadrinhista.E eu sempre tive coragem de fazer esse sacrificio todo!E com certeza muita gente nesse mercado reconhece essa minha coragem e batalha toda e votam em mim,compram meus livros e lotam meus lancamentos.
Eu nao estou nem nunca estive num jornal ou midia grande, porisso tratei de fazer meu nome por conta propria.Correndo atras !!!Ganhei projecao nacional gracas ao meu esforco e bons quadrinhos.Gracas a muito suor e trabalho,nunca fiquei reclamando seja num blog ou numa mesa de bar.Voce fala do HQ Mix, mas ele e votado de uns poucos anos pra ca, durante 17 anos ele foi decidido unicamente por uma cupula,que decidia para quem dava o premio e pronto!Eu NUNCA ganhei um HQ Mix, e olha que eu tenho mais de 20 anos de carreira,lanco livros bacanas TODO ANO desde 2002 , com lancamentos lotados, apareco na TV direto e mesmo assim, nunca me deram nada!!! Enquanto tem autor que lancou um UNICO gibi e ja ganhou o premio!!!E isso, vc acha justo???
Eu dou gracas a Deus que tenho fas que gostam de mim e me dao o Agostini porque o HQ Mix eu nao tenho esperanca nenhuma de ganhar algum dia.Tanto que eu nem voto mais.Me mandam a cedula e eu deleto, nem quero saber,pois nao acredito em seu processo mesmo.
Outra coisa que eu dou gracas a Deus e sempre ter sido honesto e corajoso pra falar tudo o que eu penso abertamente sempre, pra quem quer que seja.Jamais quero ofender ninguem, mas tambem nao quero ser um bunda-mole que nao diz o que pensa ou , pior, que nao tem nada que preste pra dizer.
Grande abraco.
Marcio Baraldi
www.marciobaraldi.com.br